Seja Bem Vindo ao site Cheio de Esperança

É possível ser bom, sem Jesus?

Rádio Advento | 4:00 AM |

doar

É possível viver uma vida moralmente justa, sem ter comunhão com Jesus? É possível ser um bom cidadão, um bom pai de família, um bom patrão ou um bom empregado, sem ter comunhão com Jesus? É possível viver sem vícios e não ter comunhão com Jesus? A Bíblia ensina que sim, mas ao mesmo tempo adverte que essas boas obras de justiça humana são para Deus como “trapos de imundície”.
Como pode alguém saber se as minhas obras de justiça são humanas ou são frutos da justiça divina? Infelizmente ninguém pode saber. Só Deus e eu. Porque só Deus e eu sabemos se entre nós existe uma experiência de comunhão diária e permanente.
Como Deus produz Suas obras de justiça na vida de Seus filhos? Vivendo neles pela presença do Espírito Santo, santificando a vontade humana e usando essa vontade humana santificada para conseguir a vitória sobre o pecado.
Qualquer obra que o homem fabrique sem viver uma vida de comunhão com Cristo, usando simplesmente seu moralismo e sua vontade humana pecaminosa, é considerada por Deus justiça humana. E “sabe, pois, que não é por causa de tua justiça, que o Senhor Deus te dará esta boa terra”, foi a advertência para Israel em Deuteronômio 9:6.
A salvação não é a recompensa que Deus dará aos que se esforçarem para cumprir seus requisitos. A salvação é Cristo e Ele também é a justiça. Quando abrimos o coração a Jesus e vivemos com Ele uma experiência de comunhão diária e permanente e permitimos que Ele habite em nós santificando nossa vontade, Ele vem trazendo salvação e justiça. O resultado dessa experiência é uma vida cheia de frutos de justiça divina.
Ao sairmos hoje para as atividades diárias, levemos Jesus conosco. Mantenhamos comunhão com Ele mentalmente, enquanto realizamos nossos deveres cotidianos. Conservemos um cântico de louvor a Deus em nosso coração, sintamos a Sua presença e deixemos que o Espírito Santo use a nossa vontade para produzir em nós os desejados frutos de justiça.
 (Escrito pelo Pr. Alejandro Bullón)

Category: