Seja Bem Vindo ao site Cheio de Esperança

Qual é a melhor dieta da moda?

Rádio Advento | 11:00 AM |


Dietas da moda
A obesidade, não a subnutrição, é considerada o principal problema de saúde pública no mundo pela Organização Mundial da Saúde (OMS). Ela integra o grupo de doenças Crônicas Não-Transmissíveis (DCNT) e é considerada a “Doença do Milênio” pela OMS, constituindo a principal causa de mortes evitáveis no mundo. De acordo com a pesquisa Vigitel 2008 do Ministério da Saúde, cerca de 56,3% ou 82 milhões de brasileiros adultos estão acima do peso. 
O aumento da obesidade em escala global está diretamente relacionada a dois fatores básicos: o sedentarismo e o consumo excessivo de alimentos industrializados ricos em açúcar e gorduras, mas deficientes em nutrientes que a célula necessita. Comendo alimentos que satisfazem o estômago, mas não nutrem a célula, o organismo passa a armazenar gordura devido a ameaça de falta de nutrientes. É preciso ter consciência de que somos o que comemos.

As pessoas estão quase sempre com pressa, chegam em casa tarde, estressadas e cansadas e não tem disposição para fazer uma refeição saudável em família. Geralmente acabam recorrendo a oferta de produtos prontos, semiprontos, congelados e industrializados, repletos de aditivos artificiais nada saudáveis como é o caso da gordura vegetal usada em produtos industrializados como batata frita, pipoca de microondas, lanches de fast food, bolachas, produtos de padaria e confeitaria, nuggets, pizzas, sorvete, bolo de caixinha tortas e frituras em geral. A gordura trans se deposita no organismo, elevando o colesterol, aumentando a obesidade abdominal, causando um processo inflamatório do organismo e predispondo ao diabetes e arterosclerose.
É importantíssimo que os bons hábitos alimentares sejam introduzidos desde a infância. A fisiologista Ana Lydia Sawaya, que preside o Núcleo Salus Paulista, explica que uma crianças que até os 4 anos de idade aprendeu a comer verduras e frutas, terá vontade de comê-las para o resto da vida. Caso, contrário, será quase sempre uma obrigação desvinculada de prazer, pois esses alimentos não foram introduzidos aos hábitos alimentares durante o período de formação do cérebro. Da mesma forma, hábitos pouco saudáveis cultivados desde a infância são mais difíceis de ser reformulados. Infelizmente a idéia de alimentação infantil hoje se baseia em produtos industrializados ricos em gordura, pobres em nutrientes e repletos de aditivos químicos, como bolachinhas, sucos de caixinha, achocolatados, sanduíches prontos e salgadinhos.
As pessoas insatisfeitas com a sua aparência fora dos padrões magreza impostos pela sociedade como sinônimo de beleza buscam dietas milagrosas que prometem emagrecimento rápido. Divulgadas na televisão, jornais, revistas e internet, esse tipo de dieta existe em inúmeras versões, mas todas apresentam deficiência de nutrientes. As pessoas querem emagrecer do dia para a noite, mas sem reeducação alimentar depois da dieta voltam a engordar. A rápida perda inicial motiva as a pessoa a continuar, mas a questão é que a balança não reflete necessariamente a mudança de composição corporal, ou seja, boa parte do peso perdido, no início, é apenas de líquidos. Ao longo da dieta , além da água, é perdida também massa magra (músculo), por causa do desbalanceamento dos  nutrientes. 
Normalmente as pessoas retiram da dieta o grupo alimentar que acham que engorda e o cardápio fica pobre e sem qualidade. São comuns as dietas que restringem os carboidratos, com conseqüente excesso no consumo de proteínas e gorduras. Nesses casos, pode haver elevação dos níveis de colesterol, sobrecarga hepática e renal e problemas cardiovasculares.
Uma dieta individualizada, prescrita por um nutricionista, normalmente contém mais calorias do que o paciente acredita que deve consumir porque considera o gasto energético do organismo, o estilo de vida, sexo e idade. Quem experimenta todos os tipos de dieta que entram na moda, pode acreditar que é um expert em dietas e que não precisa aconselhar-se com um profissional. Cada vez que alguém abandona essas dietas e retorna a alimentação habitual, o peso excedente volta.  Com isso, passa inúmeras vezes pelo ciclo de engordar e emagrecer das dietas muito restritivas, o que prejudica o organismo, deixa o metabolismo cada vez mais lento, além de levar à sensação de frustração pessoal.  
O imediatismo e a desinformação levam milhões de pessoas a tentar fórmulas fáceis para adquirir o peso sonhado. Mas seguir dietas da moda é perigoso e ineficaz. É consenso entre os especialistas que obter e, principalmente, manter o peso adequado é um projeto de longo prazo. Esse objetivo só pode ser alcançado através da reeducação alimentar. A obesidade é uma doença de difícil tratamento, que exige conscientização e disposição para mudar velhos hábitos.
Fonte: Nutrir, Revista do Conselho regional de Nutricionistas 3ª Região – Ano I – Número 01 I Maio 2009

Category: