Seja Bem Vindo ao site Cheio de Esperança

O amor ao poder X o poder do amor

Rádio Advento | 5:30 AM |

rainha_esterEra uma garota bonita que tinha conquistado o coração de um rei. De repente, ela viu todos os seus sonhos realizados. Não era mais um simples cidadã. Era rainha do império. Tinha o mundo aos seus pés. Se, esquecendo seu passado humilde, tentasse viver com toda intensidade o novo estilo de Vida que as circunstâncias lhe apresentavam, com certeza não seria julgada nem condenada. Afinal de contas, isso é o que geralmente acontece com quem alcança sucesso.
Mas lá estava um povo condenado ao extermínio por causa de seus princípios e a única Pessoa que poderia fazer algo para solucionar o problema era ela. Apresentar-se diante do rei, sem ser chamada, porém, significava alto risco.  Por que arriscar tudo que tinha conseguido simplesmente para ajudar gente que, embora querida, não representava outra coisa, senão o seu passado de pobreza e anonimato?
Existem no mundo pessoas para quem o poder em si é um fim. Para outros, o poder é apenas um meio para servir melhor e se para servir é preciso perder o poder, elas não têm medo de perde-lo, porque preferem dormir em paz com sua consciência, do que suportar a agonia de um poder que não tem sentido.
Ester era um ser humano que tinha medo, como todo ser humano. Tremer diante do perigo é próprio de nossa natureza, mas a jovem e maravilhosa rainha sabia aonde correr em busca de segurança e força, “Vai, ajuda todos os judeus que se acham em Susã”, diz a seu tio Mardoqueu, “e jejuai por mim… Eu e as minhas moças também assim jejuaremos. Depois irei ter com o rei, ainda que é contra a lei; se perecer, pereci”.
Na história das grandes decisões, esta ficará registrada como uma das maiores. Ela estava disposta a jogar fora tudo o que tinha conseguido na vida por causa de seu povo. O poder só tinha sentido para ela, se servisse para ajudar a outros. Entre o amor ao poder e o poder do amor, este segundo venceu no coração daquela garota bonita que um dia conquistara o rei.
Agora, é possível entender por que entre todas as garotas bonitas daquele império, foi ela a vitoriosa. Não eram apenas seus lindos olhos ou sua cabeleira solta ou sua pele morena. Era a força do amor, a força de seus princípios, aquela coisa maravilhosa que somente são capazes de conhecer os que vivem uma vida de companheirismo permanente com Jesus.
Quais são as motivações de sua vida? Você quer conquistar a montanha e chegar lá, para quê? Não seria interessante ajoelhar-se e responder esta pergunta para Deus?
 (Escrito pelo Pr. Alejandro Bullon)

Category: