Seja Bem Vindo ao site Cheio de Esperança

Perdeu a memória? Saiba como resgatá-la

Rádio Advento | 5:30 AM |


A idade está inevitavelmente relacionada ao declínio de memória. Investigadores na Columbia University Medical Center mostraram que uma área-chave de memória no cérebro, denominado hipocampo, é muito sensível a mudanças no nível de açúcar no sangue.
Usando técnicas especiais de ressonância magnética, os pesquisadores descobriram que pequenos aumentos no nível de açúcar no sangue foram associados com a diminuição do fluxo sanguíneo no hipocampo. Com esta diminuição, essas células nervosas recebem menos oxigênio, açúcar e outros nutrientes. Isto significa que estas células são menos ativas.
Os cientistas observaram primeiro estas mudanças no cérebro de pessoas mais idosas. Em seguida, fizeram um estudo de laboratório. Usando o mesmo tipo de tecnologia de ressonância magnética, os cientistas calcularam o fluxo sangüíneo para o hipocampo em macacos e ratos manipulando os níveis de açúcar no sangue. Pequenos picos de açúcar no sangue levam a uma diminuição do fluxo sanguíneo.
O açúcar e o cérebro
Faz sentido que o açúcar do sangue e a função cerebral estejam ligados. O cérebro usa apenas açúcar como fonte de energia. Ao contrário de outros órgãos, não pode queimar gordura ou outras formas de energia. Além disso, as pessoas com diabetes estão em maior risco de demência.
À medida que envelhecemos, mesmo que nunca desenvolvamos diabetes, a nossa capacidade para regular níveis de açúcar no sangue gradualmente se torna menos eficiente.  Os pesquisadores dizem que os pequenos picos do nível de açúcar no sangue, o que geralmente é considerado normal, pode ser um importante contribuinte relacionado com o declínio da memória.
O que posso fazer agora?
Estes resultados não sugerem que você precisa aceitar a idéia de que nossas memórias irão naturalmente piorar com a idade. Podemos ser capazes de, pelo menos, retardar esse processo.
Mas atividade física e exercício físico regular podem ser a resposta. Múltiplos estudos com idosos têm demonstrado uma forte associação entre exercício físico, perda de memória e demência. As pessoas que mantêm altos níveis de atividade física têm claramente menos perda de memória e um menor risco de demência. Mas por que isso é verdade, não está bem esclarecido.
Temos agora uma explicação bastante razoável. Exercício e maiores níveis de aptidão física mantem um melhor controle de açúcar no sangue com menos mini-picos. E baseado neste estudo mais recente, menos mini-picos de açúcar no sangue podem significar uma melhor preservação da memória ao longo do tempo.
Que tipo de exercício?
O tipo de atividade física que você escolhe não é tão importante...O mais importante é fazer exercícios agradáveis. O melhor é uma combinação do exercício aeróbio e de força.
O ideal é uma hora de exercício físico aeróbico de intensidade moderada, diariamente. Intensidade moderada significa manter sua freqüência cardíaca de 60 a 75 por cento de sua freqüência cardíaca máxima (para facilitar: você deve suar e perceber seu coração e respiração acelerar, mas deve conseguir conversar durante o exercício).
Treino de força duas a três vezes por semana é geralmente suficiente. Estas sessões podem ser mais curtas - 20 a 30 minutos.
Como elevados níveis de açúcar no sangue causam diminuição da função cerebral, exercício físico e uma dieta natural seriam tanto prevenção, quanto um tratamento adequado!
Por Howard Lewine, M.D.
Harvard Medical School

Category: