Seja Bem Vindo ao site Cheio de Esperança

Relacionamentos sufocantes não dão certo!

Rádio Advento | 7:26 AM |


Você conhece algum casal que vive como se só eles existissem? Que se isolam de amigos e familiares porque a paixão é tanta que parece que eles se bastam?
O início de um relacionamento de namoro geralmente é uma fase de bastante encantamento. O casal está se conhecendo e o sentimento de paixão faz com que eles se liguem o tempo todo, se vejam com frequência, pensem um no outro constantemente e até mesmo se esqueçam dos amigos e da família por um tempo, dando total atenção à pessoa recém conquistada.
Mas, com o passar do tempo, o “volume” da paixão vai se equilibrando, e a rotina do casal geralmente volta ao normal, saindo com amigos, estando com a família, se envolvendo em novos projetos de estudo e trabalho, enfim, continuando juntos, mas sem o exagero de antes.
No entanto, alguns casais continuam permitindo, com o passar do tempo, que o relacionamento ocupe mais espaço do que o necessário em suas vidas.
A questão é que não é incomum esses casais se separarem depois de um tempo. Mas, como assim uma separação, logo de um casal que “se bastava”, que era tão unido, tão apaixonado?
O fato é que preservar a individualidade é fundamental para a construção de um relacionamento saudável e que continue interessante. Se as duas pessoas ou uma pessoa do relacionamento começa a se anular demais para agradar sempre o outro e vai perdendo sua individualidade, a tendência é que ela vá se tornando desinteressante porque geralmente a forma peculiar de cada um ser foi aquilo que chamou a atenção um do outro no início do namoro.
Mas, por que uma pessoa (ou as duas envolvidas) pode começar a se anular para agradar o outro, ou esperar que o outro se anule totalmente para agradá-la? Isto pode acontecer porque a ideia de amor que é transmitida frequentemente nos meios de comunicação é bastante idealizada, como se o outro fosse preencher exatamente tudo em nós e nós fôssemos preencher tudo no outro. E, assim, uma pessoa pode deixar de lado seu próprio jeito de ser ou seus amigos, seus sonhos e desejos a fim de se encaixar na vida de alguém para umrelacionamento “perfeito”, para que não haja nenhuma discussão, nenhuma briga, nenhum desentendimento.
Mas, a ausência de desentendimentos ou discussões não é sinal de relacionamento perfeito. Aliás, para o crescimento e desenvolvimento de um relacionamento, é preciso que haja as trocas de ideias que, vez ou outra, culminará em uma discussão, que poderá ser resolvida de forma madura entre o casal. Este é o desafio e a necessidade para o desenvolvimento de um relacionamento maduro.Se o casal nunca discute, é provável que estejam evitando compartilhar com o outro opiniões contrárias ou desejos diferentes dos do outro em prol da figura de um relacionamento perfeito, mas a tendência é que, no futuro, este casal comece a se sentir angustiado com o fato de não poderem ser quem realmente são um para o outro e surjam surpresas em formas de pensar e atitudes que faziam parte da personalidade daquela pessoa, mas que foram ocultadas por um tempo para que desse a impressão de estarem em um relacionamento perfeito, sem ideias diferentes, sem planos de vida diferentes, como um conto de fadas.
Por isso, o casal que se isola demais, que se anula demais, que exige que o outro tenha os mesmos pensamentos e comportamentos, devem reavaliar esta atitude, perguntando a si mesmos: “Será que eu estou sendo eu mesmo nesta relação?” e “Será que eu estou permitindo que o outro seja ele mesmo nesta relação?”. Quando as duas pessoas conseguem ser elas mesmas e aceitar as diferenças existentes entre um e outro, geralmente o relacionamento deixa de ficar sufocante e passa a ser mais saudável e real.

Via Novo Tempo

Category: