Seja Bem Vindo ao site Cheio de Esperança

Luto Psicológico ou Depressão?

Rádio Advento | 9:30 PM |


lutoPsicologicoOuDepressao
Qual a diferença entre depressão e luto psicológico? Quando saber se a pessoa está deprimindo ou se está vivendo a dor normal da perda?

Há uma diferença entre uma pessoa viver o processo de luto psicológico por alguma perda real experimentada na vida atual e uma depressão. Qual a diferença?

Luto psicológico envolve um conjunto de sintomas que podem ser parecidos com os da depressão, mas que têm um tempo determinado de ocorrer. Geralmente quando a pessoa passa pelo luto normal ela não se afunda tanto, e consegue manter suas atividades do dia a dia perto do normal. Pode sentir-se um tanto triste, meio "anestesiada", talvez mais lenta, com algumas ondas de chôro, mas funciona e consegue trabalhar. Com o passar do tempo, não mais do que um ano, as coisas voltam ao normal do ponto de vista emocional, e os sintomas que eram desagradáveis, desaparecem. Eles até podem retornar em certas datas especiais, como Natal, aniversário da pessoa que morreu (se é luto por morte de alguém), data da morte da pessoa, etc.

Já na depressão, a pessoa fica bem mais comprometida do ponto de vista da capacidade de trabalhar, de raciocinar, tomar decisões, funcionar socialmente. Existe a depressão leve, moderada e grave.  Quanto mais grave for a depressão, mais limitada estará a pessoa para funcionar na vida. A depressão leve parece com o luto psicológico, só que na depressão a pessoa permanece desanimada, mesmo após algum tempo em que seria de se esperar que ela estivesse bem de novo. É como se fosse um luto psicológico persistente, que não passa com o tempo.

É importante, no caso do luto psicológico que a pessoa tenha paciência, não se apavore, e expresse sua dor e tristeza para alguém que saiba ouvir. Este desconforto emocional do luto psicológico pode demorar mais do que gostaríamos. E tanto mais demorará quanto mais a pessoa reprimir sentimentos dolorosos que ela precisa expressar (verbalizar) e experimentar (viver no corpo, coração, na consciência). Dói sentir a dor, mas é doendo, falando dela, vivendo-a, atravessando-a que ela vai embora.

Depois que vivemos a dor pela morte de um ente querido, fica a saudade que pode não doer tanto com o passar do tempo. Então é importante ser paciente consigo mesmo e com a necessidade fisiológica de viver a dor emocional. A dor é uma necessidade no momento de luto. O que é bom, passa. Mas o que é ruim, também passa. Isto também vai passar.

Se for depressão, a pessoa pode necessitar de ajuda psicológica profissional. Dependendo do nível da depressão, ela pode também precisar de algum medicamento anti-depressivo que deve ser prescrito por médico psiquiatra.

Category: