Seja Bem Vindo ao site Cheio de Esperança

Mitos e Realidades Sobre Abuso Doméstico Contra Homens

Rádio Advento | 2:30 AM |


MitosERealidadesSobreOAbusoDomesticoContraHomens_thumbSerá que só mulheres sofrem de abuso doméstico? São os homens sempre os agressores? Confira a resposta para esta e outras perguntas.
Mito 1 – Somente homens que são frágeis permitem ser abusados por mulheres - Homens de verdade também são fisicamente vítimas de mulheres agressivas através de socos, pontapés nos testículos, beliscões, atacados quando dirigindo, etc. O que eles, que não são covardes e nem tímidos, fazem para se defender dos ataques femininos é tentar bloquear os golpes, porque sabem que se revidassem poderiam ferir gravemente a mulher agressora.

Mito 2 – O abusador é a pessoa maior e mais forte e a vítima é a menor e a mais fraca - Uma pessoa de 1 metro e 60 cm de altura com forte tendência para a violência e muito raivosa pode causar muito dano em alguém de 1 metro e oitenta de altura que pesa mais mas não é violenta. Peso, altura e/ou ser musculoso não são bons indicadores se um homem será vítima ou agressor. Este mito focaliza apenas os aspectos físicos da violência doméstica. Um abusador não necessita ser grande ou forte para atirar um facão em outra pessoa, chicotear com corda ou fio elétrico grosso, picotar a roupa ou ameaçar chamar a polícia mentindo que está sendo abusada. Violência é assunto de escolha pessoal, não de tamanho do corpo. Homens que procuram ajuda por serem atacados por mulheres relatam que receberam tiros de arma de fogo, foram agredidos com objetos pesados, tiveram um braço quebrado, a mulher agressora jogou o carro contra eles, foram apunhalados, etc.

Mito 3 – Mulheres usam violência doméstica somente em autodefesa - Homens vítimas de mulheres agressivas contam o que ocorreu com eles: “Liguei meu carro e ela ficou parada atrás dele com o bebê. Daí ela pôs o bebê no chão da garagem onde eu não o podia ver, daí eu não podia sair.” “Ela estava ‘ligada’ pela cocaína e me esfaqueou na barriga. Fiquei dois dias no hospital internado. Me perguntaram se eu queria fazer uma denúncia e disse que não porque não queria que a mãe de meus filhos fosse presa.”

Mito 4 – Se o abuso foi muito mau, o homem poderia sair de casa porque é mais fácil para ele deixar um relacionamento - Alguns ataques de mulheres contra homens ocorrem sem serem provocados. Deixar impune estes ataques passam a mensagem às mulheres e crianças de que não tem problema usar a violência se a pessoa é mulher e que não há consequências para estas ações violentas. A maioria das vítimas diminue a gravidade da violência por causa da culpa, vergonha, porque outros não crêem ou se recusam a ouvir. Abandonar o lar é em geral o mais difícil de ser feito, e comumente é mais difícil do que permanecer. Abusadores podem se tornar mais violentos e ameaçadores se a vítima diz que vai se retirar. Deixar um ambiente violento requer dinheiro, hospedagem, transporte, apoio, etc. Relatórios indicam que homens vítimas de mulheres abusivas permanecem no lar por razões semelhantes às que elas têm: a)Para proteger os filhos da mãe abusiva; b)Família é importante e eles casaram para vida toda; c)O abusador controla as finanças; d)O abusador faz promessas de mudanças e procurar ajuda para seu comportamento abusivo; e)Eles amam suas esposas e não querem terminar o relacionamento, mas somente os abusos, f)Eles se sentem culpados pelos abusos ou dizem que eles são culpados.

Mito 5 – Os programas que lidam com a violência doméstica oferecem os mesmos serviços para ambos, homens e mulheres vítimas de violência feita pelo parceiro - Mesmo nos Estados Unidos não é fácil encontrar alguma agência que tenha recursos para ajudar homens vítimas de violência doméstica. Geralmente oferecem somente para crianças, adolescentes e mulheres acima de 18 anos de idade.

Mito 6 – Vítimas do sexo masculino são tão raras que não existe necessidade de serviços aptos a ajudá-los. Dificilmente homens procurarão ajuda – Eles procuram ajuda quando sofrem violência doméstica se existem tais serviços. Uma agência norte-americana relata que recentemente recebeu 434 telefonemas de homens pedindo orientação do que fazer diante das violências da esposa. Destes, 70 pediram ajuda para ficar numa hospedagem por uma ou duas noites até que as coisas pudessem amenizar.

Mito 7 – Pesquisadores revelam que em 95 à 98% dos casos de violência doméstica as mulheres são vítimas e homens são os abusadores - Nos EUA o Serviço Nacional de Atendimento à Violência Doméstica verificou que em 2003 cerca de 74% dos telefonemas vieram de mulheres, 12% de homens e 14% de gêneros desconhecidos. Recentemente uma pesquisa publicada pelo Departamento Norte-Americano de Justiça estimou que 4 milhões e 500 mil agressões físicas contra mulheres e 2 milhões e 900 mil contra homens ocorrem anualmente naquele país. Ataques contra homens somam 39% do total. Estima-se que violência contra homens feitas por mulheres atinja algo entre 15 a 35% de todas as vítimas por ano. (Tjaden, P. & Thoennes N. (2000). Full Report of the Prevalence, Incidence, and Consequences of Violence Against Women, Findings From the National Violence Against Women Survey, NCJ 183781 pp. 26-2. Frieze, Irene Hanson. 2005. Hurting the One you Love. USA: Wadsworth publishing. www.domesticabusehelpline.org)

Category: