Seja Bem Vindo ao site Cheio de Esperança

Criança na cama e sem arruaça na hora de dormir

Rádio Advento | 12:02 PM |


Ele só reclama na hora de ir para a cama: esperneia, grita e dá quantas desculpas consegue imaginar antes de pegar no sono. As crianças sentem muito mais sono que os adultos e precisam de noites bem dormidas para garantir um bom desenvolvimento .
A aparente falta de sono está, muitas vezes, nos próprios adultos, que oferecem doses extras de energia para a criançada minutos antes da hora de dormir.
Outro risco pode estar na relação, indevida, entre sono e castigo. Muitos pais acabam perdendo a paciência e tornam esse momento uma tortura.
Para evitar esses erros, confira as dicas:
Horário
Usar o relógio como guia pode ajudar seu filho a ir para cama sem problemas. Quando a criança entende que ela tem hora pré-definida para dormir, ela naturalmente programa melhor o seu tempo e passa a dividir as suas tarefas dentro do período em que, certamente, fica acordada. Isso torna seu filho uma pessoa mais organizada e com melhor desempenho durante o dia. Quando ela aprende que existe um determinado horário para dormir, as desculpas acabam desaparecendo e o próprio organismo se adapta, fazendo com sono chegue no momento certo.
Brincadeiras
As brincadeiras são sempre bem-vindas, apostar nas mais leves ao final da tarde é perfeito, principalmente as que estimulem o sono, como jogos de carta. Já as atividades muito intensas e motivantes não devem ser praticadas muito próximas da hora de dormir, pois costumam tirar o sono da criança, a exemplo de videogames, internet, brincadeiras de correr e danças com músicas eletrizantes.
Companhia para os bocejos
Escolher um objeto que funcione como aviso da hora de dormir é uma ótima escolha. Travesseiros, fraldas e brinquedos ajudam a criançada a entender que é hora de pegar no sono. Existe criança que faz questão de dormir com seu boneco preferido ou um bichinho de pelúcia. Não faz mal algum, ao contrário afirma a especialista.
Ritual
Tornar a hora do sono um ritual mostra que esse momento deve ser respeitado. Seguir algumas regrinhas diárias pode ajudar como: vestir o pijama, levá-la ao banheiro, contar uma história e fazer uma oração. A ordem dá segurança para a criança e livra os pais da correria e dos gritos pelo meio da casa.
Feche a porta
Depois de conversar com seu filho, é só desejar boa noite e sair do quarto. Ficar esperando ele fechar os olhos não vai adiantar, ao contrário. Vendo você tão pertinho, ele não vai se entregar ao sono, vai querer conversar e até mesmo brincar , diz Evelyn. Para que ele durma, você precisa deixá-lo sozinho. Explique que vai ficar no quarto ao lado e, se acontecer qualquer problema, ele só precisa chamar.
Não force
Enquanto os horários não forem seguidos, paciência. Se o pequeno não apresentar nenhum sinal de sonolência, não vai adiantar deixá-lo horas no quarto. Leve a criança para dormir somente quando o sono chegar. Ficar deitado e acordado na cama por muito tempo não ajuda na qualidade do sono afirma Evelyn.

Proteção
Se mesmo com todas essas dicas seu pequeno não conseguir pegar no sono, é hora de partir para boa e velha conversa. Sente ao lado dele na cama e tente entender a razão para o problema. O mais importante é passar proteção e segurança, já que a maioria dos casos está relacionada com o medo e não com falta de vontade de dormir.
Olho aberto 
Noites mal dormidas podem causar problemas na vida das crianças, como fadiga, cansaço exagerado, tensão, irritabilidade, choro fácil, queda no rendimento escolar, ansiedade, sonolência diurna, dores musculares e retraimento social. Se notar esses sintomas, agende uma consulta com o pediatra ou com um psicólogo infantil.
Na cama dos pais, não!
Crianças que dormem com os pais podem apresentar vários problemas, como insegurança constante, ansiedade e problemas psicossomáticos. Sem esquecer a falta de privacidade que os pais acabam sofrendo e os abalos que isso pode causar na relação. Não proíba a criança de visitar sua cama, mas estabeleça limites e só permita que ela durma entre os pais em situações de emergência (como uma doença grave, que exija cuidados permanentes).
Fonte ; Novo TEmpo

Category: