Seja Bem Vindo ao site Cheio de Esperança

Ex-garota de programa se converte com a ajuda de um 'cliente'

Rádio Advento | 3:30 AM |

DulciAté alguns dias atrás, Dulci Paina era famosa nas baladas de campo grande  e faturava até R$ 1,5 mil por noite como garota de programa.
 
Dona de de uma loja de roupas  e acessórios femininos e masculinos, ela largou a vida de garota de programa e passou a frequentar a igreja evangélica.
 
"Antes, me criticavam porque eu era garota de programa, vendia sexo. Agora que eu decidi me converter, aceitar Deus e mudar de vida, também sou criticada. Que sociedade é essa em que vivemos, em que as pessoas se acham no direito de julgar?", questiona Dulci.
 
A ex-garota de programa conta que o lado financeira era o que a mantinha nessa vida, mas que nunca fui fácil transar com outros homens.
 
A mudança começou a forma inesperada, no encontro com um cliente. "Chegamos no quarto e eu já estava preparada para fazer o que sempre fiz com os clientes, mas ele falou que não queria nada comigo e que estava ali porque Deus o havia mandado para me ajudar. Pediu para eu me olhar no espelho e falou que eu era uma menina bonita, gente boa e que eu não precisava mais fazer aquilo. Que Deus tinha um propósito na minha vida", relata.
 
Esse cliente deu a ela um livro, mas ela o ignorou. "Eu não queria ler porque no fundo eu sabia que se eu me aproximasse de Deus ia acabar largando essa vida".
 
Um trecho falando sobre escolher o caminho de bênçãos ou de maldições foi lido pela sobrinha de Dulci. Na semana seguinte ela aceitou o convite para ir a um culto.
 
"As pessoas querem me julgar, mas eu não ligo. A sociedade não aceita bem quem fala a verdade, quem assume o que é sem medo de críticas. Eu fiz isso quando resolvi ser garota de programa, em maio deste ano, e estou fazendo o mesmo porque escolhi mudar. Eu determino o que eu quero para minha vida, tenho livre arbítrio e ninguém tem nada com isso", desabafa Dulci.
 
Em entrevista, ela lamenta o fato de uma garota de programa ser muito mais valorizada do que uma vendedora de uma loja de roupas, mas ainda assim ela sabe que tomou a decisão certa.
 
"Eu não repetiria isso. Hoje enxerguei que tenho capacidade para ganhar dinheiro de outra forma, sem desrespeitar os ensinamentos da minha mãe e de Deus. Não quero voltar atrás nunca mais. É uma decisão definitiva. Só quem conhece Jesus sabe o quanto ele nos dá paz para tomar decisões", afirma.
 
Se manter no caminho de Deus vai ser um desafio, ainda mais porque Dulci pretende ajudar outras mulheres com seu testemunho.  "Ele [Deus] não disse que seria fácil. Servir a Deus é um desafio constante. Todos os dias o pecado vem e bate na sua porta. Mas quando você está firme no seu propósito fica mais fácil (...) "Por enquanto eu estou me fortalecendo, conhecendo mais sobre Deus e adquirindo sabedoria, para poder fazer esse trabalho de ajuda", explica.
 
 
Fonte: G1

Category: