Seja Bem Vindo ao site Cheio de Esperança

Jornal distorce intenção de jovens adventistas

Rádio Advento | 5:00 AM |

Parada Gay em Copacabana
Quando repórteres e editores querem, os fatos podem ser apresentados com vieses que pouco ou nada têm que ver com a realidade. Apuração imperfeita? Interesses obscuros? Parcialidade indevida? Vai saber. O fato é que uma dessas distorções ocorreu exatamente hoje, na cobertura feita pelo jornal O Dia da 18ª Parada do Orgulho LGBT de Copacabana (confira aqui). O título da matéria diz o seguinte: “Evangélicos mostram apoio ao movimento LGBT na concentração da Parada Gay”, e o subtítulo completa: “Jovens da Igreja  Adventista do Sétimo  Dia levaram cartazes em apoio ao movimento LGBT em Copacabana.” Pior ainda foi a legenda de uma das fotos: “Jovens da Igreja Adventista do Sétimo Dia manifestam seu apoio à causa.”

Segundo a reportagem, “um grupo de pelo menos 15 jovens da Igreja Adventista do Sétimo Dia manifestou seu apoio à causa LGBT. ‘A gente veio dizer que Deus ama a todos independentemente da orientação sexual. Não concordamos com o preconceito’, disse Lucas dos Santos.’” Note que a declaração de Lucas em nada revela apoio ao movimento gay.

Em sua página no Facebook, o pastor Thiago Lessa Fiuza, capelão Colégio Adventista do Rio de Janeiro, fala sobre os objetivos da ação dos jovens adventistas:  “Hoje, juntamente com vários jovens que vivem sua vida para mostrar o amor de Cristo, fomos à Parada LGBT com o intuito de quebrar a imagem negativa que esse grupo social tem da maioria dos cristãos. Fomos mostrar a eles que, assim como o maior símbolo desta cidade (o Cristo Redentor), também estamos de braços abertos para recebê-los, pois cremos que seria isso que o próprio Cristo faria em nosso lugar. Em nenhum momento apoiamos a causa, o movimento ou os valores defendidos por eles. Somos cristãos, e conhecemos nossas crenças e princípios. O que fizemos foi dar a eles uma oportunidade diferente de ouvir sobre o amor de Deus em um lugar onde jamais pensariam ouvir. Que Deus agora toque o coração dessas pessoas, e o nosso também, para que possamos recebê-las em nossas igrejas da maneira como Cristo as receberia.” 

Um dos líderes da iniciativa, Agnes Lucas de Araujo, também se manifestou: “Como revolucionários de Cristo, devemos impactar. Representar uma igreja é representar o corpo de Cristo, ou seja, viver como Ele viveu e estar disposto a sofrer as consequências em nome dEle. Somos adventistas do sétimo dia e carregamos essa bandeira de ser porta-vozes de Deus na Terra. Como representantes dEle, temos que pregar o maior mandamento de todos, que é o amor. Seguindo esse linha de raciocínio, fomos ao local da Parada a fim de levar esse amor de Cristo, que é incondicional, que independe de raça, cor, credo ou opção sexual e transpõe barreiras de preconceito criadas pelos seres humanos. Quando levantamos os cartazes em que se lia ‘Cristo está de braços abertos para você e nós também’ e ‘Somos cristãos e gostaríamos de pedir desculpas pelo modo como tratamos vocês’, demos água gelada  e oferecemos protetor solar para as pessoas, não queríamos com isso dizer que defendemos o movimento, e, sim, deixar claro que somos jovens cristãos dispostos a mostrar um Deus de amor que ama a todos. Como adventistas, cremos na Bíblia por inteiro e a encaramos como regra de fé e pratica, e ela é clara no que fala sobre o homossexualismo, mas também diz que devemos amar a todos. Foi esse amor que quisemos mostrar por meio de nossas ações.” 

Category: