Seja Bem Vindo ao site Cheio de Esperança

“Nada me afastará do Seu amor”

Rádio Advento | 10:35 AM |

perseverar_sempreNo Salmo 44 o salmista tenta mostrar que a perseguição e os sofrimentos do povo de Deus não se devem ao quebrantamento do pacto, mas simplesmente ao fato de serem o povo de Deus.
Ser um cristão genuíno já é, em si, uma afronta aos que desprezam a Deus e Seus caminhos. O cristão é muitas vezes chamado de fanático, extremista e antiquado, por não condescender com a transgressão dos princípios divinos.
Como é visto o jovem cristão na universidade, onde todos fumam, bebem e saem com as garotas aos fins de semana? Como é visto o cristão que não pode emitir uma nota fria ou que não pode aceitar suborno? Como é considerado o filho de Deus que por causa de duas horas na sexta-feira à noite, perde um emprego com um salário ótimo?
O mundo em que vivemos não foi programado para os filhos de Deus. Os cristãos andam na contramão da vida. Por amor de Jesus, somos entregues à morte todo dia. Morte dos sonhos, morte de uma carreira profissional, de um vestibular, de um bom negócio, morte de um amor, de um plano muito bonito, enfim, “somos considerados como ovelhas para o matadouro”.
O apóstolo Paulo cita o Salmo 44:22 (“Mas, por amor de Ti, somos entregues à morte continuamente, somos considerados como ovelhas para o matadouro”) no capítulo 8 da epístola aos Romanos, ao falar das tribulações dos filhos de Deus. Paulo pergunta: “Quem nos separará do amor de Cristo? A tribulação ou a angústia, ou a perseguição, ou a fome, ou a nudez, ou o perigo, ou a espada? Mas em todas estas coisas somos mais que vencedores, por Aquele que nos amou. Porque estou certo de que, nem a morte, nem a vida, nem anjos, nem principados, nem coisas presentes, nem futuras, nem potestades, nem a altura, nem a profundidade, nem qualquer outra criatura nos poderá separar do amor de Deus, que está em Cristo Jesus nosso Senhor” (Romanos 8:35, 37-39).
Gilberto foi expulso de casa quando aceitou a Jesus. Tinha 20 anos na ocasião. Mais que o fato de estar fora do lar, doía a incompreensão dos pais e dos irmãos, sendo que ele tinha vivido uma vida torta, desregrada e cheia de vícios, quando não conhecia a Jesus como seu Salvador. Quando Gilberto foi batizado, a mãe lhe disse: “Preferia que você fosse um viciado em drogas do que um crente”. A partir daí, Gilberto não só perdeu o lar paterno, mas foi perseguido implacavelmente pela família.
Conheci Gilberto num acampamento para jovens e me contou que por causa do sábado, tinha dificuldades para arrumar emprego.
- Você está arrependido de ter aceitado a Jesus? – perguntei-lhe.
- Não, Pastor, Jesus foi o melhor que pode ter acontecido em minha vida. Eu O seguirei, e nada me afastará de Seu amor, não importam os sofrimentos e as dificuldades. Irei com Ele até o fim – disse Gilberto, meneando a cabeça.
Na vida dos que aprendem a andar diariamente com Jesus, não existe mais do que um caminho: Segui-Lo até o fim. 
(Escrito pelo Pr. Alejandro Bullón)
Via : Amilton Menezes

Category: