Seja Bem Vindo ao site Cheio de Esperança

Eu Prefiro as Crianças

Rádio Advento | 4:00 AM |


euPrefiroAsCriancasComo você lida com seus talentos? Usa-os conscientemente para o bem? E dominado pelo mau?

O mundo é mau. A vida é injusta. Simplesmente não há resposta para muitas questões. Olhe em volta de você agora. Veja pela sua janela. Pode ver um lixeiro limpando a rua e que ganha um salário mínimo por mês? Olhe mais ao lado. Vê alguém que o mundo chama de poderoso? Conheço empresários que ganham cerca de 40 vezes mais por mês do que um lixeiro. Um empresário norte-americano paga 33 vezes menos a um operário na China para fazer um produto comparado com o que ele pagaria a um operário norte-americano.

Será que as pessoas são movidas pelos talentos que possuem? Talentos são herdados? Ouvi agora mesmo uma chamada num noticiário da TV sobre uma reportagem com um homem que agora é um empresário muito rico e que era catador de lixo. Me recuso a ver a reportagem. Vai ser a mesma coisa. Uma pessoa obcecada por crescimento exterior que, por causa desta obsessão, realmente fica rico (externamente). Canalizamos a energia de nossos conflitos interiores para produção exterior? Quem não faz isto é doente mental? A vida é composta de trabalho, família, amigos, estudos, lazer, espiritualidade. E se você não consegue se dar bem nos relacionamentos com as pessoas, para onde canalizará suas energias que seriam vividas nestes relacionamentos?

O esforço para alcançar uma meta é fundamental para o sucesso de uma pessoa. Será que há pessoas que conseguem se esforçar mais do que outras, sendo que as que não conseguem não são preguiçosas? Será que estas que não conseguem sucesso financeiro são burras? Ou será que não têm talento para ganhar dinheiro? Não ter capacidade para ganhar dinheiro é inferioridade? O que é superioridade da pessoa humana?

Há pessoas que têm lutas interiores muito mais difíceis e complicadas que outras pessoas. Algumas das que têm conflitos maiores conseguem canalizar suas energias mentais para o trabalho, e enriquecem. O que as motivou a trabalhar muito e enriquecer? Outras que também têm lutas parecidas, não enriquecem materialmente. São inferiores por isso?

Grandes teóricos da Psicologia dizem que saúde mental é ter capacidade de trabalhar e amar. Onde está o amor quando alguém fica obsessivo com o trabalho e o lucro? Então, crescer economicamente é sinônimo de saúde mental? Dá para usar este parâmetro sozinho para dar um atestado de sanidade mental?

A diferença de classes é um horror. A exploração dos patrões ricos sobre os pobres é um horror. Empregados que roubam o patrão também é um horror. Há um comentarista de futebol da TV que eu acho muito chato e injusto. Parece que nunca jogou futebol pela maneira como critica os jogadores em campo. É um ex-(bom)jogador. Oitenta por cento do tempo da partida de futebol o cara fica criticando o que os jogadores fazem em campo! Será que ele se esqueceu que já esteve lá e errou muitas vezes? Há empresários que foram operários, mas parece que nunca foram empregados na vida pela maneira como lidam com seus funcionários, agora que estão no tôpo da empresa. Apesar de poderem ser desagradáveis, são muitas vezes exaltados nas colunas sociais. Se esqueceram que vieram de baixo?

Se você quer justiça, não a encontrará nessa vida. A maldade impera. Nada é ingênuo. A rede da maldade nos poderes sociais é uma esquizofrenia social. Pior que isto, porque a esquizofrenia é uma defesa, uma disfunção, uma redução drástica do self para um não-self, ou um a-self. Mas é o melhor que a pessoa consegue fazer com os recursos mentais (orgânicos e psicológicos) que possui. A maldade, pelo contrário, é um ataque, uma ousadia, uma decisão consciente de trapacear, uma prepotência como se os possuidores dela fossem deuses. A casa vai cair. Mas até lá, dói ver tudo isto. Os ricos explorando os pobres. Sociedades secretas promovendo a concentração de poder nas mãos de poucos. Se a luz que há em ti são trevas, quão grande são estas trevas. Chore. Talvez venha algum alívio depois. Mesmo durante o império da maldade. Eu prefiro as crianças.

Category: